30 estatísticas interessantes sobre famílias no Canadá

O Canadá tem passado por mudanças consideráveis no perfil familiar nos últimos anos. Estas mudanças vem influenciando inclusive as politicas de imigração do Quebec, chegando a dar pontos extras para casais com filhos.

As famílias canadenses estão menores, cada vez mais urbanas e compostas por um mix cada vez mais amplo nas relações.

O censo de 2011 confirma o que os canadenses vêem no seu dia-a-dia: os casais continuam sendo a estrutura familiar predominante, mas é uma categoria que segue em declínio há algumas décadas.

Por outro lado, há um número crescente de canadenses vivendo em relações de união estável, famílias monoparentais ou que vivem sozinhos. Pela primeira vez, há mais famílias de uma pessoa do que famílias compostas por um casal com filhos.

Estes dados podem ser usados para orientar as decisões sobre onde construir novas escolas e parques, visto que mostram que partes do país têm famílias mais jovens. Os dados também podem apoiar questões nacionais mais amplas sobre a imigração, saúde e mobilidade laboral.

Confira 30 estatísticas interessantes sobre famílias no Canadá, e entenda porquê o país, e principalmente a província de Quebec, deseja receber jovens famílias de imigrantes.

Família tradicional em questão: Casamento ou união estável?

1) Apenas um quarto dos domicílios são constituídos pelo que entendemos como família tradicional: mãe, pai, crianças e um cão em casa.

2) Ainda assim, das cerca de 3,7 milhões de famílias com crianças, 87,4% são as chamadas famílias intactas – dois pais e seus filhos biológicos ou adotados

3) O número de crianças com pais em união estável está em ascensão, enquanto aquelas com pais casados está diminuindo.

4) Em 2011, o número de casais em união estável superou em 5% o número de famílias monoparentais e em 10% o número de casais casados de fato.

5) Casais em união estável são mais prevalentes nos territórios e no Quebec, onde representam uma em cada três famílias.

6) Desde 1981, o número de casais em união estável mais do que quadruplicou.

Viver sozinho(a): uma tendência?

7) Um pouco mais de um quarto das pessoas vivem por conta própria.

8) O número de pessoas vivendo sozinhas aumentou 10,4%. Pela primeira vez, há mais lares com pessoas vivendo sozinhas (3,7 milhões) do que famílias compostas por casal com filhos (3,5 milhões).

9) Mais canadenses estão vivendo sozinhos – 5,6 milhões de pessoas de 15 anos ou mais não vivem em uma família. 13% desta população vivia sozinha, tendo aumentado ligeiramente a partir de 2006.

Casais do mesmo sexo: famílias cada vez mais comuns

10) O número de casais do mesmo sexo mostrou um forte aumento de 42,4%, indo para um número de 64.575 casais. Este aumento foi atribuído à legalização do casamento do mesmo sexo em 2005. Desses, 21.015 são casados e 43.560 vivem em união estável.

11) Casais do mesmo sexo são mais propensos a ser do sexo masculino (54,5%) do que do sexo feminino (45,5%) em 2011.

12) Famílias do mesmo sexo no Canadá estão menos propensas (9.4%) a ter filhos em casa do que casais de sexo oposto (47,2%).

13) Em famílias com casais do mesmo sexo, os casais do sexo feminino são mais propensos a ter filhos do que do sexo masculino, constituindo 80,3% dos casais do mesmo sexo com crianças.

Adoção: uma opção a considerar

14) Há 29.950 crianças adotadas em todo o país.

15) Há cerca de 70.000 crianças sob os cuidados do governo, e destas, entre 20.000 e 30.000 disponíveis para adoção. Ainda assim, muitos canadenses recorrem à adoção internacional, sendo crianças provenientes dos países asiáticos as mais comuns.

Famílias recompostas (pais divorciados com novos parceiros – padrastro ou madrastra)

16) 12,6%, das famílias, ou 464.335, são famílias recompostas (pais separados e com novos parceiros – padrastros ou madrastras)

17) Destes, 192.410 são o que se chama famílias “complexas” – um filho de ambos os pais e um filho de um pai de um relacionamento anterior.

18) Uma em cada 10 crianças vivem em famílias recompostas

Pessoas idosas: maior expressividade nas famílias

19) Menos pessoas idosas estão vivendo sozinhas em comparação a uma década atrás, em especial as mulheres. A razão para isso se dá principalmente pela mudança na expectativa de vida. A expectativa de vida para os homens está aumentando rapidamente, assim os casais são capazes de permanecer juntos até uma idade mais avançada.

20) Entre as crianças menores de 14 anos, 269.315 – ou 4,8% – vivem em domicílios com pelo menos um dos avós. Destes, 30.005 vivem em famílias “inter geração”, vivendo somente com os avós e não seus pais.

Famílias monoparentais: mudanças no perfil

21) Em 2011, as famílias monoparentais eram compostas por 16,3% de todas as famílias, o dobro da quota em 1961, quando a concepção de filhos era em sua maioria dentro de um casamento e as taxas de divórcio eram menores.

22) Em 1961, 61,5% das famílias monoparentais eram de pais viúvos. Até 2011, a maioria dos pais sozinhos eram divorciados, separados ou nunca se casaram, enquanto apenas 17,7% eram viúvos.

Configuração das famílias

23) O número de famílias – casais casados, em união estável e famílias monoparentais – mais do que duplicou desde 1961, de 4,1 milhões para 9,4 milhões de famílias. Entretanto, a proporção de casais casados caiu de 91,6% para 67%.

24) Famílias canadenses estão ficando menores, devido à queda na taxa de fecundidade. O número médio de filhos por família foi de 1,9 em 2011, contra 2,7 em 1961.

25) Durante o mesmo período, o número médio de pessoas por família caiu para 2,9 em 2011, de 3,9 em 1961.

26) O número de casais com filhos em casa continua a cair – 39,2% em comparação aos 44% dos casais que não têm filhos no censo anterior. Estes são os “ninhos vazios”, os baby boomers envelhecendo e vendo seus filhos crescidos se mudarem.

27) Ainda assim, os jovens adultos entre 20 e 29 anos estão ficando mais tempo em casa. Cerca de 4 em cada 10 vivem com os pais.

28) Porém, há mais lares com casais sem filhos do que com filhos

29) Há 13.320.615 domicílios particulares no Canadá, um aumento de 1,8 milhões.

30) Casas com múltiplas famílias são predominantes em Brampton (11%), Markham (8,1%), Richmond Hill (5,4%) e Mississauga (5%). Este poderia ser o resultado de uma maior proporção de imigrantes nas comunidades, diz o órgão Estatísticas Canada.

Como podemos perceber, é cada vez mais comum pessoas não se casarem ou decidirem por viver sozinhas, e principalmente, por não ter filhos.

E isto impacta diretamente no setor econômico do país, pois com o tempo, a tendência é que haja mais adultos prestes a se aposentar ou pessoas acima de 60 anos do que crianças nascendo, como se pode ver na pirâmide demográfica abaixo:

piramide-canada

Fonte: Wikipedia

Por este motivo, famílias imigrantes com filhos pequenos, que irão estudar e se formar em instituições canadenses, são muito bem vindas.

No Quebec, emigrar com filhos pequenos conta até 8 pontos adicionais no processo de imigração – pontuação com mesmo grau de importância que experiência de trabalho, estadia anterior no Quebec e/ou família vivendo na província, somente 2 pontos abaixo de uma oferta de emprego válida.

Já no processo de imigração Federal Express Entry, não há pontos adicionais por filhos.

E você, gostaria de criar seus filhos no Quebec? Comente abaixo!

Você pode também adquirir nossa série de Guias de Imigração e Integração ao Quebec, sobre imigração, habitação, integração e estilo de vida e um guia para seu projeto pessoal de imigração. 

Saiba mais sobre os Guias aqui

Comentários

Leave a Reply

Translate »